12 de fevereiro de 2014

I'll be the last



As palavras que me diriges,
têm o sabor
do primeiro dia

As luzes da cidade onde te conheci,
ainda iluminam o meu quarto,
na tua ausência

A maneira como brincámos,
horas, tardes, dias, noites,
impõe um sorriso nos meus lábios

O teu olhar, quando me escutas,
de paciente a apaixonado,
adormece a minha alma inquieta


As promessas de calor,
das noites sem respirar,
fazem o meu coração bater

Esse teu sorriso,
a parte mais encantadora de ti,
é o culpado

Por culpado o dou,
ou não fosse o fogo que ele acende,
dentro de mim

Em chamas, num corpo em lume vivo,
doí-me o peito, lugar onde te guardo,
desde a primeira troca de olhares

Mentia,
se dissesse que não penso em ti,
de cada vez que respiro

Enganava-te,
se sorrisse quando chega a hora,
de ires embora

Juro-te,
que o intento da alma é só um;
que a certeza, se enuncia assim:


Eu serei
o último.


Ser Jovem
No Imperativo