6 de junho de 2014

Tonto de ti






Aqui estou eu,
a escrever-te enquanto repousas o espírito.

Não tens ideia do quanto esperei,
do quanto desejei um momento assim,
do quanto de ti eu pretendi.



Agrada-me não saberes de mim,

agrada-me o silêncio deste lugar,
que preserva a paz que a tua alma precisa.

E da tua precisa a minha.

Não só.


A falta que me fazem esses teus fios de cabelo,
que sinto pela cara quando te abraço.

O cheiro do teu perfume,
aroma de quando te encontro.

A tua forma de caminhar;
O sorriso que rasga o céu;
O teu jeito 'sem jeito';
O teu sabor.



A falta que faz à minha vida,
toda a parte de ti que em mais ninguém encontro,
que em mais ninguém existe.



Obrigado por todos os dias,
por todos os instantes,
em que decidiste fazer história comigo.



(Consigo sentir o teu cheiro...)




Ser Jovem
'Tonto de ti'