26 de setembro de 2014

Se tu soubesses




Era só uma noite,
era a confusão do momento,
disse eu.

Fechasse os meus olhos

e a noite seria conselheira de mim

Só que:

Mais partes de mim,


diziam mais.

O teu cheiro,


aquele com que dolosamente te aprumas,
hiptonizava até a parte mais racional de mim.

O quão bem torturado eu me sinto.

Trago-o em mim,


nas cartas que me escreveste,
no coração que agora te tem.

Tenho escrito,


por algum lado,
cada letra do que me disseste.

Tenho sorrisos, de tamanha vitalidade;


Tenho a tua voz, sempre tão presente;
Tenho desejo de ti, como se fosse do oxigénio para viver.

Tenho te por todo o lado, é o que sinto.

Se algum dia quis enfrentar essa verdade, 


não vi nada, foi escuro o meu caminho.

Sem ti,


sou como o pó,
perdido pelo ar.

Se ao menos tu soubesses,


o quanto de ti eu venero,
o quanto de ti falta em cada unidade de mim,
em cada porção da minha existência...

Se tu soubesses o quanto de ti


foi prazer em mim...
Imagina a sensação das sensações,
o momento mais alto, o topo da montanha...
Tu mostraste-me.

Se tu soubesses tudo quanto deixas em mim...

Se tu soubesses tudo quanto construíste,


tudo quanto criaste em mim...

Ai... Se tu soubesses...


e dizia eu, numa certa noite, que era "confusão do momento..."



Ser Jovem
Um resto de ti